EMPODERANDO MÃES ATÍPICAS: UM ESTUDO DE CAMPO SOBRE A IMPORTÂNCIA DA AUTOESTIMA NA MATERNIDADE ATÍPICA

Publicado 2020-08-19

  • Larissa Oro Kintope
  • ,
  • Raphaela de Souza Borges


PDF

Palavras-chave: maternidade atípica, maternidade, famílias neuro divergentes, autismo

Resumo

O presente estudo de campo tem como objetivo discutir quais são os impactos ocasionados pela autoestima fragilizada da mãe na maternidade atípica e em como a psicologia pode auxiliar na compreensão deste processo, promovendo intervenções que auxiliem no desenvolvimento da autoestima dessas mães.  Além disso, discute a sobrecarga física e emocional das mães ao longo da maternidade relacionado ao cuidado e criação dos filhos neuro divergentes, discorrendo sobre fatos sócio históricos demonstrando como a maternidade é vista e como a sua experiência é distorcida pelas normas sociais e imposta para as mulheres da sociedade brasileira. Trazendo dados coletados por meio de entrevistas com o público alvo sobre o quanto a maternidade é suprida de expectativas que nem sempre se concretizam tornando - se evidente o quanto isso é impactante na saúde das mães como um todo. O campo de estudo escolhido foi a ONG (Órgão Social Sem Fins Lucrativos) denominada Falando sobre o Autismo, localizada na cidade de São José dos Pinhais, que acolhe mais de cinquenta famílias com familiares neuro divergentes. Foi realizada uma dinâmica no espaço da ONG intitulada “Dia da Beleza” em que organizamos um Spa facial gratuito juntamente com a entrega de bombons contendo mensagens motivacionais para as mães participantes, além do sorteio de um brinde. Após a dinâmica, foi possível notar a importância vital da autoestima materna na jornada da maternidade, especialmente em contextos atípicos. A autoestima não é apenas um aspecto psicológico individual, mas sim um pilar fundamental que sustenta o bem-estar físico, emocional e social das mães e, por extensão, de suas famílias.


Referências

  1. SMEHA, Luciane Najar; CEZAR, Pâmela Kurtz. A vivência da maternidade de mães de crianças com autismo. Psicologia em estudo, Scielo Brasil, v. 16, n. 1, p. 43-50, 1 mar. 2011. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pe/a/QypM8WrpBcGX9LnwfvgqWpK/#ModalHowcite. Acesso em: 18 set. 2020.
  2. DA COSTA, Aline Oliveira. Depressão, autoestima e satisfação conjugal no ciclo gravídico puerperal: implicações para a maternidade. Orientador: Prof.a Dra. Miria Benincasa. 2018. 149 p. Dissertação (Pós graduação em Psicologia da Saúde) - UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO ESCOLA DE CIÊNCIAS MÉDICAS E DA SAÚDE, [S. l.], 2018. Disponível em: http://tede.metodista.br/jspui/handle/tede/1822#preview-link0. Acesso em: 20 set. 2020.
  3. GRADVOHL, Silvia Mayumi Obana; OSIS, Maria José Duarte; MAKUCH, Maria Yolanda. Maternidade e formas de maternagem desde a idade média à atualidade. Pensando fam., Popsic - Periódicos eletrônicos em Psicologia, v. 18, n. 1, p. 55-62, 1 jun. 2014. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?pid=S1679-494X2014000100006&script=sci_arttext. Acesso em: 19 set. 2020.
  4. ARIÈS, Philippe. História social da criança e da família. Scielo Brasil, vol. 2, 275 p., 1981. Disponível em: https://d1wqtxts1xzle7.cloudfront.net/50454075/livro_139-68-libre.pdf?1479729622=&response-content-disposition=inline%3B+filename%3DLivro_139.pdf&Expires=1700595095&Signature=TUQkrUWApj7TYh4hKH~xXb~yyNfIRL5OAq1fkHQFKL09~c1datiB8d1LEHqPCJoUP25TwdFJbpKnkTOMLBfaPpL98JuZ3K8J3cFRsxWOCJ0qOULe2tLdJn~VHhP7nOw7dmRJJRaD3jOCC~EhFHa1r~RZ7ruavYZdLDr5MtghP-2tD25TjtZYzZ2XZdTmnE-EezxQXqONVu-BS9HGrCm1BE4SZ8xWge4UNDamrfp1FsdfLXGAwdUCvQ5C0XDFFJNq5XAF~gBn6ZHnDjISvrEwbLAQ~aAOVKKWlJRdVZ20pbMiwSzHvR884H6SfFlQ6s6I~h3eFjOpPLaIf98F9FaFKQ__&Key-Pair-Id=APKAJLOHF5GGSLRBV4ZA. Acesso em: 19 set. 2020.
  5. MOURA, S. M. S. R. DE .; ARAÚJO, M. DE F.. A maternidade na história e a história dos cuidados maternos. Psicologia: Ciência e Profissão, v. 24, n. 1, p. 44–55, mar. 2004. Disponível em: https://www.scielo.br/j/pcp/a/3sCV35wjck8XzbyhMWnhrzG/#ModalHowcite Acesso em: 19 set. 2020

Como Citar

Kintope, L. O., & Borges, R. de S. (2020). EMPODERANDO MÃES ATÍPICAS: UM ESTUDO DE CAMPO SOBRE A IMPORTÂNCIA DA AUTOESTIMA NA MATERNIDADE ATÍPICA. Journal of Media Critiques, 6(18), 21–36. https://doi.org/10.17349/jmcv6n18-002

Baixar Citação

Palavras-chave

MAIS LIDOS DA SEMANA

Edição Atual